44% dos microempreendedores individuais do Alto Tietê são mulheres

18mar
image_pdfimage_print

O mundo dos negócios também é lugar para mulheres. Dados do Sebrae apontam que 44% das microempresas individuais existentes no Alto Tietê são gerenciadas por mulheres. O índice, apurado até novembro do ano passado, pode ser ainda maior, segundo a gerente regional do Sebrae, Cristiane Rebelato.

Ela esteve na última terça-feira (17/3) na Câmara de Arujá ministrando palestra sobre Empreendedorismo Feminino. A atividade, organizada pelo mandato da vereadora Maria Lúcia de Souza Ribeiro (PTB), a Lúcia Ribeiro, reuniu cerca de 80 pessoas no salão nobre Vereador Francisco Rodrigues Ávila.

No Brasil, segundo pesquisa PNAD/IBGE, existem atualmente 2,1 milhões de empresárias, sendo que 588,9 mil estão no Estado de São Paulo. As mulheres se destacam nos setores de alimentação e beleza – elas estão a frente de 39% dos negócios.

Lúcia Ribeiro e Cristiane Rebelato

Lúcia Ribeiro e Cristiane Rebelato

Segundo Cristiane, há diferenças entre homens e mulheres empreendedores, no entanto, características mais típicas em um gênero podem também aparecer no outro. “No geral, as mulheres são mais emotivas, conciliadoras, ponderadas e possuem um nível de exigência quanto à qualidade e à eficiência maior que o dos homens”, explicou.

Elas também costumam buscar mais informações quando vão abrir uma empresa e possuem mais tempo de estudo (37% tem ensino superior completo contra 31% dos homens). 80% das mulheres, ao contrário do que muitos pensam, tem na empresa o seu principal local de trabalho e costumam se dedicar ao empreendedorismo após os 35 anos – 70% das empreendedoras possuem entre 35 e 64 anos.

Cristiane salientou que não é fácil para a mulher tornar-se uma empreendedora. “Além de investir no planejamento do negócio, a mulher precisa realizar um planejamento de vida a fim de que seu empreendimento não prejudique sua vida pessoal, sua relação com os filhos e o marido”, orientou.

A gerente também explicou que empreendedorismo não é dom, nem arte e sim prática. “Todos nós temos características empreendedoras. Às vezes, a pessoa não tem um empreendimento, mas é um funcionário empreendedor. Na realidade, em todos os setores precisamos desenvolver comportamentos  empreendedores”, finalizou.

O presidente da Câmara Reynaldo Gregório Junior (PTB), Reynaldinho, o  vereador Edvaldo de Oliveira Paula (PTB), o Castelo Alemão, a diretora da ETEC de Arujá, Marilda Britto, a coordenadora pedagógica da ETEC Arujá, Rose Mendonça e diversos professores também prestigiaram a atividade.

A pastora Renata Muniz da Assembléia de Deus Harmônica fez uma apresentação musical cantando o Hino Nacional Brasileiro a capela.

 

Empreendedor

 

 

 

 

 

Câmara de Arujá

Assessoria de Comunicação

imprensa@camaraaruja.sp.gov.br

4652-7015

Publicada em 18/03/2015