Após escalada de assaltos, Gabriel propõe ação conjunta de segurança no Primavera e Emília

16out
image_pdfimage_print

Moradores do Recanto Primavera e Jardim Emília estão alarmados com o aumento nos casos de assalto a mão armada na região. Para compreender e propor soluções ao problema, o vereador Gabriel dos Santos (PSD) esteve no local, na última quinta-feira (11/10), acompanhado do alto comando da Guarda Civil Municipal (GCM) de Arujá e conversou com lideranças do bairro, munícipes e comerciantes sobre possíveis medidas para amenizar o drama.

Após a visita, o parlamentar concluiu que somente uma ação conjunta entre GCM e Polícia Militar, sob o comando estratégico da Secretaria de Segurança, poderá reduzir a incidência de crimes na região.

“O primeiro passo será propor uma reunião entre autoridades e população para que possamos diagnosticar o problema. Depois, será necessário estruturar uma ação conjunta que envolva todas as forças de policiamento e segurança para, efetivamente, agir”, detalhou Gabriel.

Os GCMs Comandante José Carlos da Silva e Subcomandante Uelton Almeida, que acompanharam o vereador durante a visita ao bairro, comprometeram-se em aumentar as rondas de rotina na região, especialmente no entorno dos conjuntos habitacionais do Jardim Emília (CDHU). Eles também propuseram a instalação de câmeras de segurança em pontos estratégicos.

“Por meio de câmeras, podemos identificar a movimentação de veículos suspeitos a partir da Central Integrada de Monitoramento da GCM”, explicou o Comandante Silva. O Subcomandante Almeida destacou ainda que será possível aumentar a efetividade da ação contra o crime a partir do monitoramento.

Medo

Vereador conversou com munícipes que relataram aumento na sensação de insegurança. Foto: Imprensa/CMA

Um adolescente de 13 anos voltava da escola quando criminosos a bordo de um carro fizeram um “arrastão” na Rua Pedro Pereira da Silva. Ele correu e conseguiu escapar. O caso ocorreu há cerca de três semanas com o filho de uma auxiliar de produção que mora no conjunto habitacional do Jardim Emília – e pediu para não ser identificada. Segundo ela, a sensação de quem vive na região é de medo e impotência. “Os assaltos ocorrem a qualquer hora do dia, na ida ao trabalho, voltando da escola, comprando pão no mercado: ninguém está seguro”, disse.

Essa sensação de medo também foi confirmada pelo mecânico Antônio Rolim, de 54 anos, uma das lideranças locais. Ele defende que a comunidade se comunique mais com as autoridades, reportando todos os casos. “Temos que denunciar o crescimento na violência ou seguiremos sofrendo com isso”, disse.

Uma comerciante local, que também não quis se identificar, relatou ter sofrido dois assaltos a seu empreendimento nos últimos seis meses. “Convivemos com o medo, pois tem relatos de pessoas que são, inclusive, agredidas durante a ação criminosa”, disse.

Outro comerciante do Recanto Primavera disse que seu estabelecimento foi alvo de assaltantes no dia 8/10 e que, momentos depois, outro comércio na mesma rua foi alvo dos mesmos criminosos que sequer usavam máscaras. “Tenho a impressão de que eles já têm certeza da impunidade”, lamentou.

Gabriel anunciou aos moradores e comerciantes que tomará as medidas cabíveis para organizar um encontro com o prefeito e demais autoridades no bairro a fim de discutir o problema.

 

 

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

(11) 4652-7015

Texto: Renan Xavier

Fotos: Imprensa/CMA

16/10/2018