Arujá está entre as 100 melhores cidades do País

25jul

Município é o primeiro na região

Arujá está entre os 100 melhores municípios em qualidade de vida do País e é o melhor colocado na região do Alto Tietê. De acordo com o Atlas de Desenvolvimento Humano do Brasil 2013, divulgado pela ONU (Organização das Nações Unidas) na última quinta-feira (24/7), o IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) da cidade alcançou 0.784. Há duas décadas, a cidade ocupava a 463ª. Isso significou um salto de 49,62% no índice – média superior à nacional (47%) e bem maior que a estadual (35%). O IDHM mede a evolução dos índices de educação, longevidade e renda. Nas últimas apurações, a ONU também incluiu dados sobre desigualdade social.

O quesito que mais impulsionou a conquista de posições de Arujá no ranking foi a educação. Em termos absolutos, foi o quesito que mais cresceu de 1991 a 2010. Conforme o relatório, o percentual de crianças entre cinco e seis anos que frequenta a escola subiu de 26,48% para 97,05%. Entre os jovens, o resultado também foi muito positivo: o percentual de pessoas com idade entre 18 e 20 anos que completaram o ensino médio aumentou de 11,90% para 54,04%.

 Arujá também não decepcionou nos quesitos de longevidade e renda. A expectativa de vida para quem mora na cidade subiu de 70 (1991) para 77 anos (2010) e a renda per capita aumentou de R$ 582,08 para R$ 910,67 –salto de 56,45%. Os avanços no IDHM também impactaram na redução da pobreza. O percentual de extremamente pobres caiu de 3,52% em 91 para 1,89% em 2010 e o de pobres de 14,63% da população para 6,21% no mesmo período.

Com este resultado, Arujá ficou a frente de cidades como Caixas do Sul (RS) e Lavras (MG) e na região do Alto Tietê ultrapassou Mogi das Cruzes (110ª), a segunda melhor colocada no ranking. O desempenho da cidade foi destaque na página 3, do jornal O Diário, edição de 25/7.

 

Para o presidente da Câmara, Abel Franco Larini, o Abelzinho, a combinação de iniciativas de âmbito municipal e de outros entes federados foi decisiva para este resultado. “A qualidade de um País se mede pela qualidade de vida das suas cidades. Por isso, é fundamental o apoio dos governos federal e estadual às políticas públicas municipais, pois é aqui que começamos a mudar, para melhor, a vida das pessoas”. Abelzinho ainda salientou que a Câmara foi um braço importante no processo de desenvolvimento da cidade dando apoio a projetos importantes da administração municipal e que hoje resultaram no avanço deste índice. “O resultado é bom e queremos avançar ainda mais”, ressaltou.

A cidade melhor colocada no Brasil é São Caetano de Sul –IDH de 0,862. Mas Arujá está chegando: a distância do índice da cidade com o melhor que pode ser registrado (1)  foi reduzida em mais da metade (54,62%) entre 1991 e 2010.

 

ONU elogia Brasil

Apesar de ter subido apenas uma posição no ranking de desenvolvimento, o Brasil foi elogiado pela ONU. “A diminuição do emprego informal e a criação de novas oportunidades de trabalho representou outro fator determinante para esta nova realidade econômica. O Brasil foi um dos poucos países do mundo que conseguiu aumentar o número de oferta de trabalho formais entre 2007 a 2010, aparecendo no mesmo grupo com Alemanha, Áustria, Bélgica, Polônia, Tailândia e Indonésia e, dos países latinos, Chile, Uruguai, Paraguai e Peru”, aponta matéria publicada no site da Organização.

 

O relatório da ONU também destaca que “a melhoria dos indicadores ao longo dos anos se deve à iniciativa do governo brasileiro de implementar uma série de intervenções políticas destinadas a impulsionar o mercado brasileiro, expandir escolaridade básica universal e corrigir disparidades raciais e de gênero”.

 

O relatório completo pode ser consultado no site da ONU Brasil:www.onu.org.br.
 
 
 
Fonte: Assessoria de Comunicação/Câmara de Arujá/Site da ONU/Jornal O Diário
image_pdfimage_print