Secretaria de Saúde reconhece preocupação quanto a vacina em falta na rede

Em audiência de prestação de contas do 2º quadrimestre na Câmara, na última sexta-feira (27/09), a Secretaria de Saúde de Arujá reconheceu, em resposta a questionamento do vereador Rogério Gonçalves Pereira (PSD), o Rogério da Padaria, estar preocupada quanto ao desabastecimento da vacina pentavalente na rede municipal. O problema, conforme explicaram os técnicos da pasta comandada por Carmen Pellegrino, ocorre em todo o país desde que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu a importação dos medicamentos após reprovação em testes de qualidade.

A vacina pentavalente protege o paciente contra cinco doenças: difteria, tétano, coqueluche, a bactéria haemophilus influenza tipo B (responsável por infecções no nariz e na garganta) e hepatite B. As crianças devem tomar três doses da vacina aos 2, 4 e 6 meses de idade, no entanto, a idade limite para a imunização é de até 4 anos 11 meses e 29 dias, segundo a coordenadora de DST/AIDS de Arujá, Mirian Tereza Miletti, para a qual é “impossível o Ministério da Saúde não ter uma posição dentro do prazo limite estabelecido no calendário para vacinar as crianças”.

No entanto, Mirian reconhece estar preocupada com o cenário. “Nunca em minha vida profissional vivenciei uma situação como essa, de falta de uma vacina tão importante”. Segundo ela, o último comunicado do Ministério da Saúde deu a previsão de que o município receba novas doses da vacina apenas na segunda quinzena de outubro. “A última vez que recebemos doses da pentavalente foi no início de agosto. Pelo nosso monitoramento, temos crianças de três meses não imunizadas. Há um risco? Sim, há um risco e nos preocupamos diariamente com isso”, reconheceu a coordenadora.

Absenteísmo
Com o objetivo de reduzir o alto índice de faltas nas consultas médicas agendadas, a Secretaria de Saúde criou um projeto piloto de confirmação de presença dos pacientes nos exames na Unidade Básica de Saúde do Parque Rodrigo Barreto. A iniciativa consiste no envio de mensagens ao munícipe via WhatsApp com 48 horas de antecedência. O anúncio da medida foi feito pela secretária Carmen Pellegrino durante a audiência de prestação de contas.

Conforme apresentado, 33,7% das consultas e 24,8% dos exames programados entre maio e agosto deixaram de ser realizados porque o paciente não compareceu. O mesmo vale para o serviço de oftalmologia oferecido na Santa Casa de Santa Isabel, com 26% de ausência.

Caps AD
Indagada pela vereadora Ana Cristina Poli (PL), a secretária de Saúde informou que está em andamento o processo de elaboração do projeto de construção do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD). A secretária ponderou que a questão não é fácil. “Temos de pensar que sendo pacientes diferenciados eles não podem ficar em ambientes muito fechados; então já remodelados o projeto de acordo com as normas da vigilância e da portaria do Ministério da Saúde”, justificou.

Números da área
De maio a agosto foram investidos R$ 12.770.996,63 na Saúde. Nos postos de saúde ocorreram 26.962 atendimentos médicos e 23.486 atendimentos de enfermagem. No Centro de Especialidades Médicas, inaugurado em abril, o número passou de 8 mil atendimentos médicos. O PA Central registrou 48.504 atendimentos de clínica geral, ortopedia e pediatria, no período. Na unidade do Barreto, foram 19.708 consultas com clínico e 6.289 com pediatra, totalizando 25.997 atendimentos. Já na Maternidade, ocorreram 293 partos, sendo 272 de mulheres arujaenses, além de 7.123 exames.

Ainda participaram da audiência os vereadores Rafael Santos Laranjeira (PSB), Edimar do Rosário (Republicanos), o Pastor Edimar de Jesus, e Renato Bispo Caroba (PT).




Vereadores e moradores do Barreto discutirão com prefeito situação de famílias sob ameaça de despejo

Vereadores
e moradores do Parque Rodrigo Barreto se reunirão na próxima quinta-feira
(3/10) com o prefeito José Luiz Monteiro (MDB) para discutir a situação das
famílias ameaçadas de despejo na região. Na última segunda-feira (30/9),
lideranças do bairro estiveram na Câmara Municipal para pedir a intervenção do
Poder Legislativo na questão. As ações foram impetradas pela Imobiliária
Continental.

Vereadores e moradores do Barreto discutem sobre ações de reintegração de posse

Os parlamentares esclareceram que o Legislativo não tem como interferir no processo judicial, mas defenderam uma atuação mais efetiva da Prefeitura. “Fico pasmo com a imobilidade da Prefeitura”, criticou Rogério Gonçalves Pereira (PSD), o Rogério da Padaria, que mora no Barreto. Ele admitiu que se sente de “mãos atadas” ao ver diariamente o drama daqueles que ficam sem suas casas.

Renato Bispo Caroba (PT) repudiou a ausência de representantes da Prefeitura na reunião e disse que é preciso fazer um movimento por causa da “questão social”. Cristiane Araújo Pedro (PSD), a Profª Cris do Barreto, afirmou que a juíza não atendeu a pedido de audiência feito pelo Legislativo e lamenta que “o Judiciário não conheça a realidade da cidade”.

Abel Franco Larini (PL), o Abelzinho, explicou que um acordo judicial intermediado pela Prefeitura em 2008 impediu a continuidade das ações de despejo. “Elas ficaram suspensas até que fossem concluídos os trâmites para regularização do Barreto”, explicou. “Nós somos a voz da população, no entanto, o município deveria ser o braço. Neste mandato, não estamos vendo intervenção da Prefeitura nesta questão”.

Vereadores salientaram impossibilidade de intervir em decisão judicial

Articulador
do encontro, Rafael Santos Laranjeira (PSB) informou que representantes do
Poder Executivo foram convidados a participar. Porém, não houve retorno.

Com
a confirmação da agenda com o prefeito, a expectativa é buscar alternativas.
“Nós queremos moradia e estamos dispostos a pagar pelo terreno”, ressaltou o
policial militar reformado, Magno Belo da Silva, um dos que falou em nome dos moradores.

Também participou da reunião, o procurador Jurídico da Câmara, Saulo Ferreira Lobo.

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

silmara@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7015

Publicado em 1/10/2019

Texto: Silmara Helena

Fotos: Imprensa/CMA




Região do Jardim Emília terá nova UBS

Até
o final de 2020, os moradores da região do Jardim Emília contarão com uma nova
Unidade Básica de Saúde (UBS). A obra será financiada com recursos da Caixa
Econômica Federal (CEF) em nome da SPMar, empresa responsável pelas obras do
trecho Leste do Rodoanel Mario Covas, e que assumiu compromisso com a
Prefeitura de Arujá, por meio de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), de
efetuar a construção do equipamento.

O
anúncio foi feito pelo secretário de Obras, Ciro Dói, durante audiência pública
realizada pela Comissão de Justiça e Redação da Câmara de Arujá na última
quinta-feira (26/9) na Emeia XV. O acordo está sendo “costurado” desde 2014,
mas ainda não foi cumprido devido ao pedido de concordata da SPMar.

(da esq para a dir) Jose Orlando da Silva, secretário de Habitação,; Ciro Dói, secretário de Obras; Abelzinho; Rogério da Padaria; Juvenal Fernandes, secretário de Planejamento e Ionara Fernandes, secretário de Meio Ambiente

De
acordo com Ciro Dói, agora foi possível definir um cronograma de trabalho. A
previsão é que até 15/12 o projeto final esteja aprovado na Prefeitura, já com
aval da SPMar e todos os ajustes necessários. A expectativa é que obra seja
iniciada em março de 2020 e termine em dezembro.

Cerca
de 40 pessoas entre moradores e autoridades participaram da reunião na qual a
população e o Poder Público puderam discutir as prioridades para os bairros da
região.

Mesmo com a construção da nova Unidade, parte dos moradores, com apoio do vereador Paulo Henrique Maiolino (PSB), o Paulinho Maiolino, sugeriu a instalação de um Pronto Atendimento na localidade. “É inadmissível esta região não ter um PA, principalmente, pelo fato de ficar tão distante do Centro de Arujá”, argumentou o parlamentar.

A vereadora Cristiane Araújo Pedro (PSD), a Profª Cris do Barreto, lembrou que fez uma sugestão para que a Prefeitura disponibilizasse uma ambulância para a UBS do bairro. “Mas a emenda foi rejeitada”, afirmou.

Costa e Costa

Outra
reivindicação apresentada foi a melhoria do acesso ao bairro pela avenida Costa
e Costa. A pavimentação asfáltica, considerada de baixa qualidade, e a falta de
iluminação foram criticadas. O vereador Renato Bispo Caroba (PT) questionou:
“Afinal, esta avenida será asfaltada de verdade? Haverá guia e sarjeta ou a
Prefeitura manterá esse asfalto sem qualidade?

Os vereadores Cris do Barreto e Luiz Fernando (a frente) e ao fundo a vereadora Ana Poli

O
secretário de Planejamento, Juvenal Fernandes Penteado, afirmou que a melhoria
da Costa e Costa está sendo discutida na Prefeitura. “Estamos fazendo
levantamento dos custos”, explicou, sem garantir que a obra contemple a
instalação de guia e sarjeta. Quanto à iluminação, o gestor informou que isso
depende de negociação com a Elektro e que, a partir de fevereiro de 2020, a
Prefeitura assumirá definitivamente os serviços de manutenção do parque
luminotécnico do Município.

Ainda
na área de infraestrutura urbana, a vereadora Ana Cristina Poli (PL)
reivindicou a melhoria da sinalização de trânsito e do trevo de acesso ao
bairro. “É um perigo, principalmente, para quem não conhece a região ou circula
durante a noite”, alertou, pedindo providências.

Segurança

A segurança pública é outro ponto crítico, na avaliação dos moradores. Recentemente, a região registrou uma onda de assaltos e furtos e, apesar do aumento das rondas policiais, o problema continua. Para solucioná-lo, Juvenal disse que o Jardim Emília será incluído no projeto Muralha Eletrônica e uma câmera será instalada na rua Oscar Schiavon, considerada uma rota de fuga. “O equipamento terá o Detecta e identificará todos os carros que entrarem e saírem daqui”, explicou o secretário.

Enchentes

O vereador Rogério Gonçalves Pereira (PSD), o Rogério da Padaria, que presidiu a audiência pública, questionou a secretária de Meio Ambiente Ionara Fernandes sobre a existência de processo para canalização do córrego no Jardim Emília. “Há uma reivindicação de moradores para essa obra por conta das enchentes”, justificou.

Ionara afirmou que a canalização depende de análise da situação no local e viabilidade legal. No entanto, se comprometeu a avaliar a possibilidade de melhorar o escoamento das águas de chuva. “Reduzindo o volume de água que chega ao córrego, reduzimos os riscos de enchente. Pode estar aí a solução para o problema”, pontuou.

Educação

Está
nos planos da Prefeitura, mas sem data definida a construção de uma nova creche
na região. A proposta é instalar a unidade em uma área institucional no Recanto
Primavera. A população reclama de falta de vagas e da necessidade de improvisar
salas de aula. Na Escola Municipal Cecília Caraça, a biblioteca e a sala
multimídia foram desativadas para atender as crianças. O crescimento da demanda
ocorreu após a ocupação dos apartamentos da Companhia de Desenvolvimento
Habitacional e Urbano (CDHU).

Imagens da execução das obras do Rodoanel na região do Emília

Presente
à audiência, o vereador Luiz Fernando Alves de Almeida (PSDB) lembrou a atuação
dos vereadores em conjunto com a população para reivindicar à Prefeitura a
retomada das aulas e das obras de ampliação da creche Seiji Shiguematsu, que
também fica nas proximidades. A reforma deve terminar até 15/10.

Ele
questionou o secretário de Planejamento sobre a existência de previsão
orçamentária para execução de serviços e obras no Jardim Emília. “Não há
previsão”, admitiu Juvenal.

Abel Franco Larini (PL), o Abelzinho, sugeriu a aplicação dos R$ 3 milhões pagos pela SPMar à Prefeitura de Arujá – decorrente de débitos acumulados de Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) – no Jardim Emília. “É justo, pois eles foram os mais prejudicados com as obras do Rodoanel”, justificou.

Mobilização

Os vereadores foram unânimes em ressaltar à população a importância da participação nas audiências públicas do Orçamento. “Somente dessa forma é possível pressionar a administração municipal para que as obras e os serviços sejam executados”, disse Rogério Gonçalves Pereira (PSD), o Rogério da Padaria.

Também
participaram da audiência, a secretária municipal de Meio Ambiente, Ionara
Fernandes, o administrador da regional do Jardim Emília, Edson Larini e
assessores parlamentares.

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

silmara@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7015

Publicado em 1/10/2019

Texto: Silmara Helena

Fotos: Imprensa/CMA




Queda na arrecadação do ICMS preocupa Prefeitura

Arujá registrou queda de 17,20% no repasse do valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), um tributo estadual cujo cálculo considera, entre outros fatores, a atividade econômica local. No período de maio a agosto de 2019, a receita advinda do ICMS foi de R$ 19.920.547,41. Em 2018, o total superou os R$ 24 milhões.

da esq para a direita: Abelzinho, Rogério da Padaria, Caio Araújo, secretário de Finanças e os secretários adjuntos Antônio Donizete e Sandra Silva

A
situação, admite o secretário de Finanças Caio César Vieira de Araújo, é
preocupante e afetou o desempenho geral das transferências correntes – receitas
provenientes do governo estadual e da União – que registraram queda de 7,27% se
comparado ao mesmo período de 2018. “Foi um resultado ruim”, afirmou o gestor.
A exceção neste quesito se deu com a arrecadação do Fundo de Participação dos
Município (FPM) que alcançou R$ 11.581.906,99 – total 5,18% maior que em 2018.

No que se refere às receitas próprias, Arujá superou novamente as expectativas. A cidade arrecadou 7% a mais de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e 41,79% a mais de Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS). Os números, segundo o secretário, são resultado da estratégia traçada pela secretaria. “Desde o início do ano definimos a meta de aumentar a arrecadação municipal, a partir da melhoria da nossa eficiência fiscal a fim de compensar essas quedas de repasse. E foi o que nos salvou”, admitiu. Somente da SP Mar, empresa responsável pela construção do trecho Leste do Rodoanel Mario Covas, Arujá recebeu R$ 3 milhões.

(da esq para a direita) Profº Edval, Pastor Edimar e Paraíba Car

Mesmo
com a queda no valor das transferências correntes, o 2º quadrimestre registrou
superávit de R$ 11.302,554,86. As despesas totalizaram R$ 81.734.843,16 e as
receitas R$ 93.037,398,02. Foram aplicados 38,1% dos recursos em Educação e
outros 15,6% em Saúde. As despesas com pessoal representaram 46,2%.

Retração econômica

Questionado pelo vereador Rogério Gonçalves Pereira (PSD), o Rogério da Padaria, sobre os motivos da queda na arrecadação do ICMS, o secretário informou que houve retração na produção industrial da cidade. “Isso impactou na formação do índice de Arujá que determina o valor do repasse”, salientou o gestor ao anunciar que, diante do ocorrido, a Prefeitura pretende acompanhar mais de perto a arrecadação do tributo. “Vamos licitar um software que nos permitirá verificar a evolução do ICMS”. Por conta desta redução, Caio Araújo acredita que a previsão inserida na Lei Orçamentária Anual (LOA) 2019 não se cumprirá.

Profº Edval questiona secretário de Finanças

O secretário ainda explicou, a pedido dos vereadores, que a instalação da Aurora só impactará na receita municipal em 2021. E, no caso da duplicação da Mogi-Dutra, ainda não houve entrada de recursos nas contas da Prefeitura. “Teremos de fazer uma ação fiscal pois, do contrário, a empresa não paga”, explicou em resposta ao vereador Sebastião Viera de Lira (DC), o Paraíba Car.

Rogério
ainda pediu ao secretário informações sobre quais providências foram tomadas em
relação a empresas instaladas no município, mas que recolhem impostos em outras
cidades. Ele citou especificamente um laboratório de análises clínicas.
“Abrimos ação fiscal e temos inclusive um relatório que posso encaminhar para
seu conhecimento”, respondeu o titular da pasta. Ele ainda defendeu que uma
solução para minimizar o problema seria igualar alíquotas aos municípios da
região, conforme orientação do Condemat. “Houve essa proposta, mas Arujá não
aceitou”, pontuou.

Reestruturação

Abelzinho, assim como os demais vereadores, perguntaram ao secretário sobre o andamento dos concursos públicos

A necessidade de agilizar a convocação de aprovados em concursos públicos realizados pela Prefeitura de Arujá desde 2015 foi uma reivindicação comum dos vereadores presentes à audiência. Rogério da Padaria, Paraíba Car, Edimar do Rosário (Republicanos), o Pastor Edimar de Jesus, Abel Franco Larini (PL), o Abelzinho, e Edval Barbosa Paz (PSDB), Profº Edval, fizeram várias perguntas e críticas à demora da administração em contratar os novos concursados, mesmo diante da necessidade de pessoal.

“Todos
os secretários reclamam de falta de pessoal”, disse Rogério. “Há uma demora em
chamar e normalmente espera-se o ano que antecede as eleições”, disse Profº
Edval. A demora, na avaliação do Pastor Edimar, prejudica as pessoas. “Cria-se
expectativa”, ponderou.

“A
Prefeitura chamou mais de 60 funcionários nas últimas semanas”, garantiu Caio.
Ele confirmou que, de fato, há necessidade de pessoal em todas as secretarias –
“a cidade chegou aos 100 mil habitantes e isso gera novos problemas” e defende
uma reestruturação administrativa. “Precisamos modernizar o quadro e fazer uma
revisão de cargos e salários”.

Sobre a reclamação de Paraíba que afirma não ter recebido lista atualizada dos comissionados da Prefeitura, solicitada por meio de requerimento, Caio garantiu que esta questão será resolvida. “Não temos nada a esconder. Vamos corrigir isso, vereador e enviar a lista correta”. Atualmente, a Prefeitura possui cerca de 130 funcionários comissionados que custam por mês R$ 1,3 milhão ao Município. O valor total da folha de pagamento gira em torno de R$ 10 milhões.

Também participaram da audiência, os secretários adjuntos da pasta, Sandra do Carmo Silva e Antônio Donizette da Silva.

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

silmara@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7015

Publicado em 30/9/2019

Texto: Silmara Helena

Fotos: Imprensa/CMA




Em audiência de prestação de contas, vereadores criticam falta de transparência em dados da Educação

Pouco efetiva. Assim os vereadores definiram a audiência pública da Secretaria de Educação de Arujá relativa às contas do 2º quadrimestre do ano, realizada na Câmara Municipal na última quinta-feira (29/09) em atendimento à Lei do Sistema Municipal de Ensino (3.019/2018). A crítica se deve, principalmente, ao fato de os números apresentados referirem-se aos valores empenhados, e não necessariamente pagos, impedindo que os parlamentares tenham um panorama preciso do quadro de investimentos na área.

No período, a pasta teve um gasto total de R$ 33.781.005,41 na área, sendo R$ 20.844.410,87 (61,70%) de recursos federais e R$ 12.936.594,54 (38,30%) de recursos municipais.

Apresentaram o balanço, representando o Poder Executivo, a professora do apoio técnico pedagógico Vanessa Gallo, Claudio Massena, secretário escolar, e a diretora de departamento da Secretaria da Educação Elaine Mariano. Presentes também os vereadores Rogério Gonçalves Pereira (PSD), o Rogério da Padaria, Rafael Laranjeira (PSB) e Edval Barbosa Paz (PSDB), o Profº Edval. A secretária de Educação Priscila Sidorco não conseguiu comparecer em virtude da necessidade de acompanhar uma convocação para vistoria ordenada do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Manutenção

No
período, a Secretaria de Educação empenhou R$ 1.009.399,96 (2,99% do total do
orçamento) em manutenção de prédios da pasta, sendo R$ 259.853,17 na reforma da
Escola Professor Eufly Gomes, R$ 513.660,09 em serviços de manutenção e
conservação das unidades, R$ 9.712, 33 em material de manutenção e R$
226.174,37 na manutenção do complexo onde foi instalada recentemente a
Secretaria de Educação, agora localizada no interior do Condomínio 5.

O vereador Rogério da Padaria solicitou um detalhamento dos valores empenhados e efetivamente gastos, mas os técnicos não dispunham dos dados. “Na prestação de contas é muito importante informar o valor gasto na unidade e em qual ação específica para que nós, vereadores, possamos constatar a melhoria. O que verificamos, muitas vezes, é que poucos dias após alguma reforma, a situação do prédio continua precária”, apontou o vereador.

“Quero
deixar claro minha indignação com a prestação de contas. Sei que vocês vieram
com boa vontade, mas está muito confuso. São coisas totalmente distintas, pois
vocês que trabalham com a peça [orçamentária] sabem que empenhado e pago são
coisas totalmente diferentes. Não tem como chegar aqui e fazer uma audiência
pública sobre os valores empenhados sem saber se serão pagos. Precisamos saber
o que de fato foi feito pela Educação neste quadrimestre. É uma prestação de
contas que deixa mais dúvida do que certezas”, criticou o vereador. Os técnicos
se comprometeram a elaborar, neste perfil do 2º quadrimestre, uma relação dos
valores empenhados e efetivamente pagos e encaminhar aos vereadores.

Rafael
Laranjeira indagou, entre outras coisas, sobre os R$ 226.174,37 gastos na
instalação da Secretaria de Educação em um prédio do Condomínio 5, uma vez que
no local já funcionava uma secretaria anteriormente. “Quais reparos foram
feitos para se chegar a este valor?” questionou o parlamentar. Massena explanou
sobre os reparos: “pintura, troca de telha, troca de tomadas, manutenção, limpeza,
incluindo a central de abastecimento, almoxarifado, a casa principal e um
pedaço da casa de Cultura que nos foi cedido”. O vereador ainda expressou sua
preocupação com a falta de previsão objetiva de execução das reformas nas
unidades escolares.

Profº Edval, por sua vez, criticou a discrepância entre o montante de investimentos na área e a situação das escolas municipais, bastante precária, segundo ele. Para exemplificar, citou a Escola Professor Eufly Gomes, no Centro Residencial. “Está em andamento a reforma, a empresa está trabalhando, temos uma técnica que está fiscalizando a execução”, explicou Vanessa Gallo.

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

renan@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7000 / 7067

Publicado em 30/9/2019

Texto: Renan Xavier

Fotos: Imprensa/CMA




Alunos da Carlos Strautmann participam de encerramento do Setembro Amarelo na Câmara

Com participação dos alunos da Escola Estadual Pastor Carlos Richard Strautman, do Parque Rodrigo Barreto, a vereadora Cristiane Araújo Pedro (PSD), a Profª Cris, encerrou as atividades do Setembro Amarelo na Câmara de Municipal Arujá, na tarde da última quinta-feira (26/9).

Estudantes lotaram o Plenário da Casa de Leis na quinta-feira

A parlamentar abriu os trabalhos destacando a Lei Municipal nº 3195/2019 de sua autoria que criou a Semana Municipal de Conscientização sobre a Depressão e Prevenção ao Suicídio. “Hoje é o dia D de combate ao suicídio e de conscientização sobre a depressão. A data é alusiva ao Setembro Amarelo e o nosso objetivo é mobilizar as pessoas para que tenham mais informações sobre esses assuntos”, afirmou a parlamentar.

Segundo
ela, é preciso que pais e educadores, principalmente, percebam os sinais de
depressão e adotem medidas de prevenção. “Espero que vocês consigam ajudar a
quem precisa, a si mesmos, e acreditem que vale a pena viver, independentemente
de problemas. A vida não é feita apenas de ‘sim’, não é feita apenas de
momentos bons. E quando perceber que uma amiga ou amigo está sofrendo, não
deboche. Às vezes a pessoa só está precisando de um abraço”, orientou a
professora.

Érica faz a dinâmica do laço amarelo com aluno da Carlos Strautmann

Laços amarelos

Para estimular a interação do público, a jornalista e educadora Érica Alcântara propôs uma dinâmica na qual cada pessoa entregou ao colega um laço amarelo e falou sobre a importância desta pessoa no mundo. “Vocês já ouviram falar sobre aquela história de que as pessoas não são insubstituíveis?” questionou ao destacar a importância de valorizar os outro e a si próprio. “Isso é horrível, pois cada pessoa é única”, destacou. A coach também perguntou às pessoas sobre críticas que já recebeu por conta do cabelo, da roupa ou dos amigos que escolheu. “Isso é bullying e precisamos combater”, disse Érica.

Sentido da vida

Evento teve palestras e teatro

A
psicóloga Camila Britto ministrou a palestra Propósito de Vida. Ela iniciou
falando sobre os mitos e verdades em relação ao suicídio e alertou: “É verdade
que algumas frases indicam que uma pessoa tem a intenção de tirar sua própria
vida. O CVV, que atende pessoas nesta situação, identifica algumas delas como,
por exemplo, “queria desaparecer”; “gostaria de dormir e nunca mais acordar” e
“vou deixar vocês em paz”, esclareceu a profissional.

Depois,
Camila citou o livro Em busca de sentido
de Vicktor E Franckl para dizer que como ter um propósito pode ajudar a evitar
o suicídio e recomendou aos estudantes o filme A vida é bela, vencedor, entre
outros, do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1999. “Vicktor, autor do livro,
era médico e passou por quatro campos de concentração. Ele observou que, apesar
do sofrimento, o índice de suicídio era pequeno e isso começou a chamar a sua
atenção. O livro fala justamente sobre isso. O que faz as pessoas sobreviverem,
mesmo diante do sofrimento, é ter um propósito, é criar uma esperança. No caso
dos presos nos campos da Alemanha, a expectativa era sair e reencontrar a
família”.

Camila Britto durante explanação sobre Propósito de Vida

O
policial reformado e professor de judô Edson Silva também participou do evento.
Ele incentivou a prática de esporte – “busque algo pelo qual tenha afinidade” e
reforçou a necessidade de as pessoas falarem sobre seu sofrimento. “Tem de
procurar ajuda”, salientou.

Ao final do evento, alunos da Escola Municipal Livre de Música Edmundo Ramos Barbosa apresentaram a peça teatral Diga não à Depressão, sob a direção do professor Jean Fernando Aparecido Inácio.

Setembro Amarelo

A
campanha do Setembro Amarelo teve origem nos Estados Unidos por iniciativa da
família do jovem Mike Emme, conhecido como Mustang Mike. O rapaz, que tinha um
Mustang amarelo, tirou a própria vida utilizando seu carro. Os pais, que não
perceberam que o garoto tinha problemas psicológicos, decidiram, no dia do
funeral, distribuir fitas amarelas com um cartão no qual havia seguinte frase: “Se
você precisar, peça ajuda”.

O vereador Luiz Fernando Alves de Almeida (PSDB) prestigiou o evento, compondo a Mesa.

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

silmara@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7015

Publicado em 25/9/2019

Texto: Silmara Helena

Fotos: Imprensa/CMA




Maiolino vistoria obras do Parque Ecológico no Jardim Fazenda Rincão

O vereador Paulo Henrique Maiolino (PSB), o Paulinho Maiolino, vistoriou na última terça-feira (24/9) as obras de instalação do Parque Ecológico Alcy Machado Godoy, no bairro Jardim Fazenda Rincão. O local abriga atualmente a sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e deverá, após concluídas as obras, ser aberto ao público com atividades educativas, recreativas e de lazer.

Parque Ecológico do Jardim Rincão terá espaços de lazer e recreação

Maiolino
se disse impressionado com a beleza do equipamento e a qualidade da obra. “Está
ficando muito bonito, realmente”, constatou. Salientou ainda a importância de
fiscalizar os serviços executados pela Prefeitura. “Esse é um dos papéis do
Legislativo”, pontuou.

Conforme
informações da administração municipal, o Parque Ecológico contará com sala de
exposições, auditório, palco de arena, banheiros com acessibilidade e lanchonete.

O investimento de R$ 1,5 milhão está sendo custeado pela CF IV Logística como compensação à construção de um centro de logística em Arujá. A obra está sendo executada pela Atual Incorporadora e deverá ser inaugurada nos próximos meses.

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

silmara@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7015

Publicado em 26/9/2019

Texto: Silmara Helena

Fotos: Imprensa/CMA




Resumo da Sessão: governo dobra aposta e nega readequação do Orçamento de 2020

Segue
o impasse no Orçamento de 2020. Após os vereadores “devolverem” a Lei de
Diretrizes Orçamentárias (LOA) à Prefeitura de Arujá com a exigência de
inclusão das 52 emendas da Câmara à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o
prefeito José Luiz Monteiro (MDB) dobrou a aposta e anunciou que o imbróglio
será “alvo de discussão e apuração judicial”, considerando “a série de
irregularidades observadas, tanto no seu aspecto formal, quanto material”.
Assim, conclui o documento, “não há, por enquanto, o que falar em readequação da
LOA, posto o desiquilíbrio evidente trazido pelas emendas da LDO”. O documento
foi lido na 111ª Sessão Ordinária, de 25/09.

Outro
tema que entrou na pauta foi o requerimento de nº 146/2019, para uso da Tribuna
Livre pela presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do
Adolescente (CMDCA), Maria da Conceição Melo Véras Galbetti. Todos os
vereadores votaram favoravelmente ao pleito, contudo, criticaram uma
interferência do Judiciário na tramitação administrativa da propositura, após
liminar concedida para o uso da Tribuna ainda na Sessão de ontem. Por força da
determinação judicial, a presidente da entidade fez uso da palavra por 15
minutos ao final da Sessão, rebatendo afirmações do vereador Sebastião Vieira
de Lira (PSDC) que considerou ofensivas.

Ainda
na Sessão Ordinária foram aprovadas 42 indicações e 31 requerimentos
parlamentares que serão remetidos ao Executivo.

Ordem do Dia

Na
Ordem do Dia, entrou para 1ª discussão o Projeto de Lei Complementar (PLC) nº
9/2019, de autoria do Poder Executivo, que altera dispositivos a Lei de
Zoneamento, Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo no município de Arujá. Antes
de votar a propositura, os vereadores aprovaram em discussão única duas emendas
aditivas à propositura, de autoria do vereador Rogério Gonçalves Pereira (PSD),
o Rogério da Padaria. A de nº 317/2019 revoga o artigo 12-A da Lei, por
entender que da forma que está o dispositivo prejudica as taxas de ocupação e
aproveitamento dos imóveis, “além de oferecer transtornos aos imóveis
lindeiros”, conforme justificou. A alteração foi apoiada por todos os
vereadores votantes, assim como na emenda nº 318/2019, que também altera
redação de artigos do PLC nº 9/2019 “para melhor adequá-la às normas em vigor”.

Outros nove projetos de Lei, todos de autoria do Executivo, entraram para leitura e 1ª discussão e votação, sendo a maioria deles sobre a abertura de crédito adicional por excesso de arrecadação ou superávit financeiro. Ao todo, as emendas somam um montante de R$ 2,5 milhões em recursos que, se aprovados em 2ª votação, serão injetados no orçamento deste exercício, principalmente, na área da Saúde.

Ainda na pauta, foi aprovado em 2ª discussão e votação o Projeto de Lei nº 233/2019 que denomina Umbelina Ferreira Barbosa o museu localizado na Rua Benjamin Franco. A propositura é de autoria dos vereadores Abel Franco Larini (PL), o Abelzinho, Ana Cristina Poli (PL), e Reynaldo Gregório Junior (PTB), o Reynaldinho.

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

renan@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7000 / 7067

Publicado em 25279/2019

Texto: Renan Xavier

Fotos: Imprensa/CMA




Câmara cumpre decisão judicial e concede direito de resposta ao CMDCA

Cumprindo
decisão judicial expedida pelo juiz titular da 1ª Vara Cível de Arujá, a Câmara
Municipal concedeu à presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e
do Adolescente (CMDCA), Maria da Conceição Melo Veras Galbetti, o direito de
manifestar-se em Tribuna durante Sessão Ordinária de 25/9.

A decisão do Poder Judiciário foi interpretada pelos vereadores como interferência indevida e gerou muitas críticas.

Conceição Veras impetrou mandado de segurança exigindo direito de resposta por conta das acusações de prevaricação feitas pelo vereador Sebastião Vieira de Lira (DC), o Paraíba Car, durante pronunciamentos nas Sessões Ordinárias de 11/9 e 18/9. Em seus discursos, o parlamentar alegou que a Presidente teria se recusado a apurar conduta “indevida”, segundo ele, de uma conselheira, que teria tentado “abafar” uma denúncia de estupro de uma criança na rede municipal de ensino em 2014.

Conceição Veras durante fala na Tribuna da Casa Legislativa

Ainda que o laudo médico tenha descartado a ocorrência de crime sexual, Paraíba Car defende a apuração da atitude da conselheira e reivindica, além do indeferimento de sua candidatura, o adiamento do pleito.

“Eu
denunciei o ato da conselheira em defesa dos interesses da criança. Quero
deixar claro que tenho a maior estima pelo CMDCA, mas, às vezes, ele é
conduzido por presidentes que prevaricam”, reforçou Paraíba Car que manteve
suas suspeitas em relação às ilegalidades do processo eleitoral. “Há várias
denúncias de candidatos desclassificados de forma absurda, apesar de
preencherem os critérios. Quem faz a correção das provas? Quem ministra o curso?
Quero saber”, afirmou.

Direito de resposta

Na petição protocolada no Fórum de Arujá, Conceição Veras transcreve a fala de Paraíba Car e justifica o pedido de liminar afirmando que teve seu pedido de uso da Tribuna Livre negado. O que não corresponde aos fatos, na análise do Legislativo. No documenta ela escreve: “O Presidente da Câmara optou por ficar inerte no seu dever constitucional, passando a ignorar totalmente o pedido. Dessa forma, continua até o presente momento criando obstáculos ao direito de resposta para que seja dada na próxima sessão ordinária que ocorrerá em 25/09/2019” (sic).

Membros do CMDCA durante Sessão Ordinária de 25/9

O
uso da Tribuna Livre é regulamentado pelo Decreto Legislativo nº 127/2003.
Pelas regras, o interessado em falar no Plenário da Casa de Leis deve
protocolar requerimento, detalhando, entre outras informações, o assunto a ser
tratado, e aguardar a deliberação dos vereadores. Aprovado, o Presidente
determinará a data do pronunciamento.

O
CMDCA protocolou a solicitação para uso da Tribuna Livre na Secretaria
Legislativa da Casa em 19/9 e o requerimento foi inserido na pauta da Sessão
Ordinária de 25/9, sendo lido e aprovado em votação única por 13 votos.

Ocorre que, segundo a advogada, havia urgência na concessão do direito à utilização da Tribuna Livre devido à legislação eleitoral. “Peço desculpas ao Legislativo por ter entrado com mandado de segurança, mas a lei não me permite falar a três dias do pleito”, explicou. A próxima Sessão Ordinária será realizada em 2/10.

Em 15 minutos de discurso e outros cinco concedidos pelo Presidente para resposta a indagações dos vereadores, Conceição refutou a existência de ilegalidades no processo eleitoral e destacou o rigor do processo de seleção dos candidatos. Ela também afirmou que não era presidente do CMDCA em 2014, quando o caso da conselheira veio à tona. Ainda assim, pontuou, acionou o Judiciário para averiguar se havia pendências em relação ao caso. “O procedimento foi arquivado e não houve qualquer questionamento sobre o caráter da candidata. Tanto que ela foi reeleita”, constatou.

CEI

Paraíba Car anunciou abertura de CEI

O vereador Paraíba Car (DC) manteve suas acusações contra o CMDCA e a sua presidente e anunciou a constituição de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para apurar as ações do órgão. A abertura da Comissão teve a adesão de 12 parlamentares, superando, portanto, o percentual de 1/3 dos membros da Câmara Municipal exigido para sua formação. Dessa forma, não precisará passar por deliberação do Plenário.

“Estou
protocolando quase que, por unanimidade, um pedido de abertura de uma CEI para
investir o CMDCA. Não as conselheiras. Mas os atos do Conselho. A senhora
(referindo-se à presidente) terá de apresentar documentos e não será convidada
e sim convocada”, avisou o vereador.

Segundo ele, há denúncias sobre suposto favorecimento em processo de seleção e desclassificação sem motivo plausível de candidatos. “Esta eleição está passível de nulidade. Vamos anular essa prova e buscar as providências cabíveis ”, anunciou ao criticar a petição da advogada que deu origem à liminar no Judiciário. “Ela praticou inverdades ao apresentar a petição. Disse que teve seu pedido (de uso da Tribuna Livre) negado e este fato não ocorreu”, registrou. No início de sua fala, Conceição admite que, realmente, não houve negativa da Câmara em deixá-la utilizar a Tribuna.

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

silmara@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7015

Publicado em 26/9/2019

Texto: Silmara Helena

Fotos: Imprensa/CMA




Mostra Fotográfica Natureza em Chamas abrirá neste final de semana à visitação

A Câmara de Arujá estará aberta ao público neste final de semana, dias 28 e 29 de setembro, para visitação à mostra fotográfica Natureza em Chamas, de Sérgio Roberg. A determinação partiu do presidente do Legislativo arujaense, Reynaldo Gregório Junior (PTB), o Reynaldinho, que acatou uma sugestão protocolada na Ouvidoria da Câmara Municipal por um morador do município de Mogi das Cruzes.

Exposição reflete sobre a preservação ambiental

“A Câmara Municipal é a casa do povo, deve ser o espaço para os munícipes desfrutarem das manifestações culturais de nossa cidade”, afirmou Reynaldinho. “A abertura da Casa de Leis neste final de semana será uma alternativa àquelas pessoas que não têm disponibilidade de visitar a mostra no horário comercial, durante a semana, mas que querem prestigiar essa bela exposição fotográfica”, disse o vereador.

A mostra Natureza em Chamas propõe uma reflexão sobre a importância da preservação ambiental no momento em que os olhos do mundo se voltam apreensivos à floresta amazônica, que padece com a escalada no desmatamento.

Biografia do artista

Roberg
começou a fotografar aos 12 anos, quando ganhou sua primeira câmera
fotográfica. Tornou-se fotógrafo profissional, jornalista e publicitário. É
graduado em Comunicação Visual no IADE – Instituto de Artes e Decoração,
especializou-se em Graphic Design.

Sérgio Roberg, fotógrafo da Mostra

Como
publicitário, atuou como Diretor de criação e Diretor de cinema de publicidade.
Como jornalista, trabalhou em grandes jornais e editoras, além da Rede Globo de
Televisão e na Rede Bandeirantes de Televisão.

Em
2005, começou a se dedicar à fotografia autoral e da vida selvagem na floresta.
A boa convivência com o fotógrafo Araquém Alcântara, que se notabilizou por
documentar fotograficamente o povo e a natureza brasileiros, mostrou a Roberg
que fotos da natureza podem ser uma forma de ativismo ecológico ou uma forma de
arte a serviço do ambientalismo.

Serviço

Mostra: Natureza em Chamas

Visitação no final de semana: Sábado e domingo, das 13h às 16h

Visitação dias úteis: Segunda a sexta-feira, das 8h30 às
11h30 e das 14h às 18h

Entrada gratuita

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

renan@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7000 / 7067

Publicado em 26/9/2019

Texto: Renan Xavier

Fotos: Imprensa/CMA