Caroba alerta Educação sobre conduta suspeita de empresa contratada para fornecimento de uniformes

27abr
image_pdfimage_print

O vereador Renato Bispo Caroba (PT) pediu que sejam mantidas as amostras dos materiais apresentados pelas empresas participantes do processo licitatório para compra de uniformes escolares em Arujá bem como seja verificada a atuação e a conduta da Método, terceira colocada e contratada pela Prefeitura. A solicitação foi feita por meio de ofício à Secretaria Municipal de Educação depois de o parlamentar constatar indícios de irregularidades na participação da Método em licitação realizada pelo município de Jacareí.

Caroba mostrou na Sessão Ordinária de quarta-feira (25/4), durante pronunciamento na Tribuna,  notícia publicada pelo jornal O Vale, de São José dos Campos (veja no link O Vale – reportagem), na qual consta que a Método e outras duas empresas estariam proibidas de participar de licitações oficiais em Jacareí por tentativa de fraudar o processo ao apresentar amostras de uniformes diferentes da especificação.

Caroba lê ofício encaminhado à Secretaria de Educação. Foto: Imprensa/CMA

O parlamentar disse que o caso é grave e precisa ser acompanhado. Ele pediu que as amostras sejam avaliadas e comparadas com a das outras concorrentes pela Comissão Permanente de Licitação (Copel) e a Câmara seja oficiada assim que as primeiras unidades dos uniformes começarem a ser distribuídas.

“Não vejo a necessidade de se abrir uma CEI (Comissão Especial de Inquérito) porque, neste caso, não há o que investigar. Não temos mais dúvidas, está claro tudo o que aconteceu nessa licitação. O que precisamos é acompanhar a fundo essa questão para que não aconteça aqui em Arujá o mesmo que ocorreu em Jacareí”, destacou o parlamentar.

Terceira colocada na licitação da Secretaria de Educação de Arujá, a Método Eirlei EPP foi contratada depois da reprovação das amostras da primeira colocada e a desistência da segunda colocada. O vereador denunciou a diferença de mais de R$ 1 milhão no valor da proposta entre a primeira e a terceira colocadas no processo e, após seus apontamentos, o contrato foi reduzido em quase R$ 1 milhão.

O valor apresentado inicialmente pela Método foi de R$ 5.412.000,00 (5 milhões e 412 mil reais). Depois da denúncia e dos questionamentos de Caroba, a empresa baixou a proposta para R$ 4.553. 450,00 (quatro milhões, quinhentos e cinquenta e três mil e quatrocentos e cinquenta reais) e em negociação com a Copel – provocada pelo gabinete do vereador – fechou em R$ 3.870.000,00 (três milhões, oitocentos e setenta mil reais), uma diferença de 40% entre o valor final e o orçado inicialmente.

*Com informações da Assessoria do Parlamentar

 

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

imprensa@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7015

Publicado em 27/04/2018

Fotos: Imprensa/CMA