Com apoio da Defensoria Pública de SP, moradores do Jardim Emília reforçam reivindicação por ligação viária com o Centro

29nov
image_pdfimage_print

Com o apoio da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, os moradores do Jardim Emília voltaram a pressionar a Prefeitura de Arujá por uma solução definitiva para os problemas de mobilidade urbana do bairro. Eles se reuniram com secretários municipais e a defensora pública Vanessa França na última quarta-feira (28/11), na sede do Poder Executivo.

da esq. para a direita: Denise Gimenes, ex-presidente da Associação de Moradores, Renato Caroba e Juvenal Fernandes, secretário de Planejamento. Foto: Imprensa/CMA

Na pauta, além da construção de um acesso viário adequado para a região central, os moradores exigiram o cumprimento do acordo feito com a SPMar para a construção de uma nova UBS e a ampliação do número de vagas nas escolas estaduais.

Isso porque, além da espera de 22 anos pela melhoria do sistema viário, o Jardim Emília sofre as consequências da passagem do trecho Leste do Rodoanel por seu território e o impacto do crescimento populacional causado pela ocupação dos 320 apartamentos do conjunto habitacional da CDHU, instalado na região.

A ex-presidente da Associação dos Moradores do bairro Denise Jandelli Gimenes relembrou a luta da população. “Desde 1996 reivindicamos esta obra à Prefeitura. Em 2007, ela chegou a ser incluída na LDO”, comentou em relação à ligação viária. No entanto, o projeto não avançou.

Secretário Municipal de Planejamento, Juvenal Fernandes Penteado, disse que a alternativa mais viável será a utilização da avenida Costa e Costa. Hoje, a via é usada, mas não possui as condições adequadas de tráfego. Seriam necessários  investimentos em pavimentação, drenagem e iluminação. Ainda assim, a via permitiria a ligação apenas no sentido Bairro-Centro, segundo ele.

UBS

A construção da nova UBS do Jardim Emília ainda dependerá de conclusão de acordo judicial com a SPMar. A empresa assumiu o compromisso de fazer um outro prédio em contrapartida aos danos ambientais causados pelo Rodoanel, mas até o momento não cumpriu o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado na ocasião. A Prefeitura, conforme informou Juvenal, já disponibilizou uma área. Sendo finalizado o acordo, a UBS será instalada em terreno próximo ao campo de futebol do Calango.

Defensoria exigirá por meio de ofício respostas mais objetivas da Prefeitura sobre obras no Jardim Emília. Foto: Imprensa/CMA

Escola

A diretora do Centro de Informações Educacionais da Diretoria de Ensino de Jacareí Daniela Paulucci esteve no encontro para discutir os problemas relacionados ao déficit de vagas. Segundo ela, apesar dos ajustes feitos para atender os moradores da CDHU, a expectativa de demanda aponta para a necessidade de abertura de uma segunda escola estadual na região. “Hoje já temos de transportar alunos para unidades do Centro e tivemos de abrir turmas do Ensino Médio no período noturno”, explicou.

Ela também reivindicou a melhoria do acesso à Escola Estadual Ana Maria de Carvalho Pereira, localizada na rua Oscar Schiavon, no Jardim Emília. “Poderíamos fazer uma nova entrada pela rua Nicolau, abrindo um portão de acesso exclusivo aos alunos”. A medida será solicitada pela Diretoria de Ensino à Prefeitura de Arujá, por meio de ofício.

A área a ser utilizada para extensão da rua Nicolau, permitindo a abertura da nova entrada, é de propriedade da CDHU. Juvenal Fernandes sugeriu chamar representantes da autarquia para discutir a cessão imediata do trecho e, dessa forma, possibilitar a realização da obra. A nova via, segundo ele, também alteraria – de forma provisória – o acesso à UBS.

Participação

Vanessa França, Defensora Pública, e moradoras do Jardim Emília. Foto: Imprensa/CMA

As explicações dadas pelos secretários terão, conforme adiantou a defensora pública, de ser apresentadas por escrito ao órgão. “Vamos oficiar a Prefeitura para que atualize as informações sobre a SPMar e indique todas as medidas tomadas para viabilizar os acessos e os equipamentos”, informou ao salientar a importância de a população participar de todas as etapas do processo. “É preciso garantir também aos moradores o direito de escolha e de fiscalização do trabalho executado”.

Na avaliação do vereador Renato Bispo Caroba (PT), que esteve na reunião e acompanha a luta dos moradores, a presença da Defensoria é muito positiva. “A intervenção deste órgão fortalece as justas reivindicações da população e obriga a Prefeitura a sair da apatia cobrando de fato o cumprimento do TAC pela SPMar e as responsabilidades do governo do Estado”, salientou.

Também participaram do encontro os secretários de Educação, Priscila Sidorco, de Habitação, José Orlando da Silva, o secretário adjunto de Serviços, Edson Nasser do Prado, servidores públicos municipais de diversas áreas e um grupo de moradores.

 

 

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

silmara@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7015

Publicado em 29/11/2018