Comissão de Educação constata diversos problemas em vistoria a escolas do Barreto e Residencial

22ago
image_pdfimage_print

Em ação fiscalizadora nas escolas de Arujá desde o final de julho, a Comissão Permanente de Educação, Saúde e Assistência Social se aproxima do cumprimento de sua meta: vistoriar todas as unidades escolares do município.

Nessa empreitada, os vereadores Rogério Gonçalves Pereira (PSD), o Rogério da Padaria, Luiz Fernando Alves de Almeida (PSDB), respectivamente presidente e vice da Comissão, depararam-se com um cenário de graves problemas infraestruturais nas unidades do bairro mais populoso da cidade, o Parque Rodrigo Barreto, e no adjacente Centro Residencial (conferir abaixo).

O relatório final das inspeções, que pretende listar eventuais problemas nas instalações físicas e no quadro de profissionais, será encaminhado ao Ministério Público de São Paulo (MP-SP) para as devidas providências.

 

VISTORIAS

 

Araki

Infiltrações

Pia quebrada do banheiro

A estrutura física da Escola Municipal (E.M.) Profª Hermínia Araki foi uma das que mais preocupou os parlamentares. O prédio apresenta diversos pontos de infiltração visíveis. Também apresenta rachaduras nas paredes e pisos quebrados nas salas de aula. Nos banheiros, a situação é degradante: há pias quebradas, diversos sanitários sem tampa ou interditados, além da falta de portas. Um mictório precisou ser desinstalado do banheiro masculino. Além disso, a altura das pias do banheiro não é adequada à faixa etária de parte dos alunos. Na quadra da unidade os problemas de rachaduras se mostram tão graves quanto no prédio principal. Há fissuras nos muros e na arquibancada do ginásio, além de goteiras e pontos de infiltração.

Eufly Gomes

Quadra alvo de vandalismo

Sala de aula

Na EM Profº Eufly Gomes, no Centro Residencial, os vereadores Rogério da Padaria e Luiz Fernando, acompanhados da vereadora Cristiane Araújo Pedro (PSD), a Professora Cris do Barreto – que leciona na unidade – constataram um cenário de extrema degradação do prédio. Em uma das salas de aula, por exemplo, a situação é tão drástica que foi preciso interditar parte do local devido às goteiras. Há graves problemas no sistema de calhas da escola, provocando inúmeros focos de infiltração. Além disso, um dos bebedouros da unidade está desativado por problemas hidráulicos. A quadra é alvo constante de invasões e vandalismo. Nos banheiros, diversos aparelhos sanitários encontram-se interditados por falta de manutenção e faltam portas nos banheiros.

Emeia 4

Casinha de brinquedo improvisada como sala de AEE

No Emeia 4 a situação do atendimento às crianças com necessidades especiais deixou os vereadores perplexos. A Comissão constatou que as aulas para esse público eram realizadas dentro de uma casinha de brinquedo no pátio. A pequena estrutura, originalmente pensada para o entretenimento das crianças, mas que em função da falta de espaço apropriado foi improvisada como sala de Atendimento Educacional Especializado (AEE). Indignado com a situação, o vereador Rogério da Padaria usou a tribuna durante a Sessão Ordinária de 15/08 para denunciar a situação.

Durante a visita, ainda foram constatados problemas como alguns focos de infiltração, falta de mesas e cadeiras ergonomicamente adequadas aos professores, ausência de uma porta no banheiro destinado aos cadeirantes e a necessidade de criação de um portão alternativo para a entrada e saída da escola.

Noeli

Rachadura no banheiro administrativo

Na EM Profª Noeli Simone da Silva há diversos pontos de infiltração, tanto nas salas de aula como nos ambientes

Infiltrações no teto do banheiro

administrativos. Este problema tem resultado, inclusive, na danificação de lousas e ventiladores. Na ocasião da visita à unidade, no dia 02/08, o banheiro feminino estava interditado em função de um vazamento na caixa d’água, situação que forçava as estudantes a utilizarem o banheiro da secretaria administrativa. Em vista da gravidade deste caso específico, a Comissão de Educação oficiou a Prefeitura, que prometeu uma solução imediata.

Esmeraldo

Baldes usados para contes goteiras nas salas

Na creche Maria José Lopes Esmeraldo a Comissão se deparou com uma situação inusitada, conforme resumiu Rogério da Padaria: “Chovia mais dentro do que fora da unidade”. No dia da visita, em (31/07), a chuva deixou estragos, principalmente na cozinha da escola, que passa por reformas. Nas salas de aula, havia diversos baldes d’água devido às goteiras e, apesar de novo (fundado em 2013), o prédio já apresenta diversas rachaduras, infiltrações, problemas nas calhas, grandes fissuras nos muros externos e infestação de formigas no parque. O local, inclusive, não tem brinquedos adequados à faixa etária das crianças, segundo a direção.

Benedita Garcia

Portão danificado

Na CMEI Dona Maria Benedita Garcia, no Barreto, os vereadores observaram que a unidade está em reforma para ampliação do número de vagas nas creches municipais conforme exige o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado entre a Prefeitura e o MP. O órgão cobra a criação de 162 vagas. Na parte estrutural, a unidade apresenta pequenos focos de infiltração. O portão do estacionamento da unidade está danificado.

Paulo Freire

A EM Paulo Freire, no Barreto, foi uma das contempladas no pacote de reformas de unidades escolares. Com prazo de seis meses, as obras na escola Paulo Freire terão um custo de R$ 397,6 mil e contemplam serviços de troca do forro, piso, telhado e calhas, pintura e reparos em instalações elétrica e hidráulicas, além da instalação de um elevador para garantir a acessibilidade do prédio. 

 

 

 

 

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

imprensa.camaraaruja@gmail.com

imprensa@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7015

Texto: Renan Xavier

Fotos: Imprensa/CMA

Publicado em 22/08/2018