Convocação secretário de Saúde: vereadores mantêm preocupação com demora no atendimento

13out

O comparecimento do secretário de Saúde Eduardo Ferreira da Silva à Câmara de Arujá não diminuiu a preocupação dos vereadores quanto ao tempo de espera por consultas na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Mirante. Eles pretendem, com a posse do novo prefeito em 2017, reivindicar providências mais efetivas para agilizar e melhorar a qualidade do atendimento, não apenas no bairro, mas em todo sistema público de saúde de Arujá.

Silva foi convocado pelo vereador e presidente da Comissão de Saúde, Educação e Assistência Social, Rogério Gonçalves Pereira (PSD), o Rogério da Padaria, a comparecer à Câmara para esclarecer os motivos pelos quais o atendimento na unidade estaria sendo suspenso antes do término do expediente. “Temos duas recepcionistas habilitadas para proceder com este trabalho até às 17h”, garantiu o secretário ao negar qualquer orientação em sentido contrário.

10.10.16_Rogerio_saude_2

Rogério questiona secretário sobre dificuldades no atendimento

Durante a reunião, ele também foi questionado sobre a demora no agendamento de consultas com ginecologistas. Os vereadores cobraram mais agilidade e até a instalação de um Ambulatório de Especialidades Médicas (AME) no município – ideia que contou com apoio do secretário. “Seria um ótimo avanço com custo mínimo para o município. Eu levantaria esta bandeira”, afirmou Silva.

“O problema no Mirante, em relação ao cumprimento do horário de expediente parece resolvido, no entanto a espera por consultas continua longa e pode chegar a quatro meses”, esclareceu Rogério da Padaria. Ele explica que é comum a mulher agendar a consulta com ginecologista e passar com um generalista primeiro. “Tomamos esta medida quando há urgência no atendimento”, justificou Silva ao admitir ainda a dificuldades para contratação de médicos e, consequente, redução da fila de espera.

O presidente da Comissão acredita que o AME seria a alternativa para resolver esta situação e ainda impactaria na redução de custos com o transporte de pacientes para outras cidades. “Hoje até exame de sangue precisa fazer fora de Arujá”, destacou, indignado.

O secretário confirmou que os veículos – cerca de dez – disponíveis para este tipo de serviço “rodam de domingo a domingo”. Ele também esclareceu que alguns tipos de atendimento precisam ser feitos fora do município. “Isso também ocorre em outras cidades.”

Sobre falta de medicamentos na rede, outra demanda cobrada por Rogério, Silva afirmou não ter constatado aumento no número de reclamações. O gestor revelou porém que houve falhas na entrega de insumos.

Júlio Taikan Yokoyama (PSDB), o Júlio do Kaikan, acompanhou a reunião e defendeu uma “gestão compartilhada” na área de saúde, além de melhor planejamento. Para Rogério, a solução passa também por uma requalificação da equipe técnica.

A reunião ocorreu na última segunda-feira (10/10) e foi transmitida pelo canal da Câmara no You Tube.

 

Câmara de Arujá

Assessoria de Comunicação

imprensa@camaraaruja.sp.gov.br

4652-7015

Publicado em 13/10/2016

 

 

 

Câmara de Arujá

Assessoria de Comunicação

imprensa@camaraaruja.sp.gov.br

4652-7015

Publicado em 13/10/2016

 

image_pdfimage_print