Moradores reivindicam iluminação, educação e segurança no Jardim Pinheiro

12jun
image_pdfimage_print

Moradores da região do Jardim Pinheiro reivindicaram mais investimentos da Prefeitura de Arujá em iluminação, educação, abastecimento e segurança. Eles participaram na noite desta quinta-feira (11/6) da audiência pública organizada pela Câmara de Arujá para debater as prioridades definidas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016.

Durante a reunião, coordenada pelo vereador Márcio José de Oliveira (PROS), o Dr. Márcio, presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária, o grupo discutiu e apresentou ao representante do Legislativo as principais necessidades e também propostas para solução de problemas identificados na região.

O estudante Rafael Reis Félix dos Santos disse que o bairro precisa de mais uma creche. “A que existe não está dando conta da demanda e muitas mães reclamam de falta de vagas”, explicou. O mesmo pedido foi feito pela funcionária pública Udina Fernandes Miranda que até afirmou existir terreno disponível para construção, mas não há projeto. Ela também apontou a precariedade da iluminação pública como um dos problemas do Jardim Pinheiro. “As ruas são muito escuras e quando há neblina a visibilidade fica ainda pior. Alguns estudantes são obrigados a andar por ruas escuras para chegar até a escola. Onde há iluminação instalada, as luzes são muito fracas”, salientou.

Os motoristas Severino Pontes Branco e Dalmo dos Santos Brito reclamaram do abastecimento e da rede de esgoto. “Chegamos a ficar de seis a sete dias sem água aqui”, disse Dalmo. Devido à altitude do Jardim Pinheiro, o ponto mais alto de Arujá, é preciso instalar uma bomba para garantir a chegada da água. O assunto já foi pauta de debate na sessão legislativa e também em reunião dos vereadores com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), mas até agora não houve solução. Com a crise hídrica e a redução da pressão, a situação se agravou.
Também apareceram entre os pedidos dos moradores a recuperação dos escadões, a manutenção do campo de futebol e das áreas de lazer, o reforço das rondas policiais e a melhoria da organização do trânsito com a execução de sinalização e instalação e adequação de lombadas.

Proposta

Entre as sugestões destacaram-se a da secretária de escola Marileis Pinto e da inspetora de aluno Vanessa Pereira de Paula. Marileis propôs o melhor aproveitamento dos equipamentos públicos. “Os recursos aqui são subutilizados. É preciso otimizar os espaços existentes. A Prefeitura poderia fechar parceria como Estado, por exemplo, para utilizar o centro comunitário aqui do bairro”.

Já Vanessa Pereira de Paula sugeriu a integração das linhas de ônibus. “Para ir até o Barreto temos de pagar duas tarifas e o valor já não é barato. Deveria existir integração como em Suzano e Mogi”, exemplificou.  Vanessa ainda apontou as dificuldades dos usuários do transporte público em relação às linhas intermunicipais que, segundo ela, não cumprem horário.

Dr. Márcio agradeceu a participação dos munícipes e salientou a importância de a sociedade atuar em conjunto com o poder público. “É preciso a organização das pessoas para que as reivindicações e necessidades possam ter ressonância e serem contempladas no orçamento. Infelizmente, em Arujá, as peças orçamentárias são feitas sem ouvir o cidadão”, reconheceu o parlamentar. Ele se comprometeu a encaminhar as solicitações e dar retorno aos munícipes.

Agenda

As próximas audiências estão marcadas para os dias 16/06 (quarta-feira) e 17/6 (quinta-feira), às 18h, na EE República Dominicana, no Jordanópolis, e no plenário Vereador João Godoy, na Câmara Municipal, respectivamente.

 

 

 

 

 

Câmara de Arujá

Assessoria de Comunicação

4652-7015

imprensa@camaraaruja.sp.gov.br

Publicada em 12/06/2015