Em audiência pública, vereadores reforçam cobrança por solução de problemas na saúde

22jun
image_pdfimage_print

Em audiência pública de prestação de contas realizada pela Secretaria de Saúde na Câmara Municipal em 26/5 com o objetivo de apresentar os investimentos feitos no 1º quadrimestre de 2017, os vereadores reforçaram a cobrança ao secretário de Saúde Messias Covre e à sua equipe técnica, por soluções mais ágeis para os problemas de saúde da cidade.

Rogério questiona sobre funcionamento da UPA do Barreto

Os parlamentares reclamaram novamente da falta de medicamentos nas unidades, do despreparo de funcionários para atender os usuários dos serviços, da falta de transparência na publicação de dados e até mesmo de receitas inelegíveis.

Caroba reivindica mais transparência na divulgação de gastos das organizações sociais

Outro foco de debate na reunião foi a proposta feita pelo secretário de a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque Rodrigo Barreto – em fase final de obras – funcionar 12 em vez de 24 horas. Segundo ele, a medida possibilitaria abertura imediata do equipamento. “Não entendo porque não fazer isso. Essa foi a opção. Iniciaria 12 horas e depois de forma gradativa passaria a 24 horas”, explicou ao ser questionado pelo vereador Rogério Gonçalves Pereira (PSD), o Rogério da Padaria, que discorda desta possibilidade.

Covre ainda argumentou que, devido ao custo de manutenção, muitas cidades da região estariam “abandonando” os projetos de UPA. “Não podemos ser comparados com outras cidades até porque em outros municípios há hospital. A UPA representa o anseio da população de Arujá pela melhoria no atendimento e precisa funcionar 24 horas. Isso foi uma garantia dada pelo prefeito anterior. Além disso, acredito que será bem difícil explicar à população porque na placa está 24 horas, mas o horário de atendimento não corresponderá”, apontou o parlamentar.

Edimar do Rosário diz que atendimento ao público é ruim nas unidades

Conforme estimativa feita pela Secretaria de Saúde, a UPA custará à Prefeitura cerca de R$ 1 milhão/mensais e o repasse do Governo Federal para custeio não chegaria a 20% deste valor.

Rogério da Padaria também pediu esclarecimentos sobre o término da obra da Unidade Básica de Saúde (UBS) da Vila Pilar. Ele ressaltou que, após intervenção do Legislativo, a obra foi retomada, mas a BEC Engenharia, responsável pela construção, não teve regularizados os pagamentos. “Há risco de a obra parar novamente e voltarmos a colocar as crianças, que estudam na creche ao lado, em perigo”, alertou . O abandono dos serviços em 2015 provocou uma série de invasões e furtos à unidade escolar.

A secretaria informou que a obra está orçada em pouco mais de R$ 2,2 milhões sendo que R$ 659 mil – oriundos de recursos federais – já foram repassados à empresa, em duas parcelas. O valor total do contrato, garantiu a diretora Lívia Pereira, está empenhado.

Audiência teve presença expressiva de vereadores

Atendimento 

O vereador Edimar do Rosário (PRB), o Pastor Edimar de Jesus, solicitou à Secretaria de Saúde mais atenção à qualidade do atendimento prestado aos usuários do sistema público de saúde. Ao utilizar uma das unidades do município, o parlamentar classificou como “triste” a forma de tratamento dispensada. Covre disse que a Secretaria está atenda a esta situação e providências são tomadas nos casos em que a denúncia é formalizada por meio da Ouvidoria SUS.

Transparência 

O petista Renato Bispo Caroba cobrou o cumprimento da Lei Federal nº 2251/09 que obriga a publicação anual da demonstração financeira das organizações sociais. “Quanto a White Martins, por exemplo, cobra da Cejam pela prestação de serviço? Tanto os vereadores quanto a população têm direito de saber, mas percebemos grande dificuldade em conseguir informações este tipo na Secretaria”, relatou Caroba. A Secretaria se comprometeu a verificar com a Cejam – atual responsável pela gestão dos equipamentos – a melhor forma de publicação. “Sei que o volume de dados é grande. No entanto, era necessário que isso ficasse disponibilizado, pelo menos, no site da Secretaria”, pontuou.

Paraíba Car cobra instalação de UTI Neonatal

Medicamentos

Caroba também chamou a atenção para a dificuldade de a Secretaria viabilizar a compra de medicamentos e resolver, de forma definitiva, os problemas de falta de remédios nas unidades. “Não vejo que seja política de governo (pode ser da Secretaria) a compra de remédios, pois saem outras licitações, menos estas”, salientou. O secretário Messias Covre disse que até ele recebe reclamações em seu consultório e que de fato “a assistência precisa ser adequada”.

A coordenadora da Assistência Farmacêutica Marilúcia Alencar da Silva Pessôa garantiu, mais uma vez, que a equipe está trabalhando para normalizar o fornecimento. “As coisas estão caminhando”, respondeu ao afirmar que parte desta situação também é causada por atrasos na entrega de medicamentos fornecidos pelo governo do Estado.

UTI Neonatal

O vereador Sebastião Vieira de Lira (PSDC), o Paraíba Car, questionou o secretário sobre o andamento das negociações entre a Prefeitura e o Hospital Ipiranga para instalação de uma UTI Neonatal na Maternidade Municipal Dalila Ferreira Franco. Segundo Covre, a secretaria está analisando a proposta encaminhada pela instituição hospitalar. “Estamos verificando os custos para passar ao prefeito”. Ele não informou prazo para dar uma resposta sobre o assunto.

Ana Poli pede mais especialistas

Especialistas 

Ana Cristina Poli (PR), a Ana Poli, reforçou os pedidos para melhoria do Ambulatório de Especialidades com a contratação de mais especialistas, entre os quais, geriatra. Ela justificou a solicitação ao informar que Arujá é um dos municípios com maior número de idosos na região. Covre informou que o Ambulatório é uma das prioridades da administração. “A próxima licitação a ser aberta será para escolha da empresa que irá gerir o ambulatório”, garantiu. Ele concordou com os vereadores sobre como a não existência de um hospital em Arujá impacta negativamente na saúde e admitiu “não saber como equacionar isso”.

Também compareceram à audiência pública os vereadores Abel Franco Larini (PR), o Abelzinho, – atual presidente da Câmara; Rafael dos Santos Laranjeira (PSB), o Rafael Laranjeira, – vice-presidente do Legislativo, Edvaldo Barbosa Paz (PSDB), o Profº Edval, e Reynaldo Gregório Junior (PTB), o Reynaldinho.

 

 

Câmara de Arujá

Assessoria de Comunicação

(11) 4652-7015

imprensa.camaraaruja@gmail.com

imprensa@camaraaruja.sp.gov.br

Publicado em 22/06/2017