Gabriel questiona Sabesp sobre número de ligações de água em Arujá

19set
image_pdfimage_print

O vereador Gabriel dos Santos (PSD) sugeriu ironicamente, durante pronunciamento feito na Sessão Ordinária de 4/9, que técnicos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) teriam cometido “erro de digitação” ao informar à Câmara Municipal o volume médio mensal faturado com fornecimento de água para Arujá.

“É só fazer as contas. Como a Sabesp tem um faturamento de R$ 190 mil com o serviço, incluindo casas e indústrias? Desculpa, mas não consigo admitir um negócio desses”, afirmou Gabriel.

Por meio do ofício nº 23/2019 – lido durante a Sessão – a Sabesp informou que de janeiro a julho de 2019 a empresa registrou um faturamento bruto acumulado, considerando água e esgoto, no valor de R$ 1.363.099,00; mensalmente, o montante alcançou R$ 194.728,43. Os valores referem-se a um volume de 7.872 metros cúbicos de água. Para 2020, conforme consta do documento, a estimativa de faturamento anual será de R$ 2.404.747,91 e mensal de R$ 200.395,66 para um volume de 7.444 metros cúbicos de água.

“Se o investimento a ser feito na cidade considerar o que foi apurado em termos de consumo, não dá para aceitar isso pacificamente. Já assinei um ofício (nº 42/2019) pedindo que informe detalhadamente quantas ligações de água e esgoto existem na cidade. A Sabesp tem um contrato de prestação de serviço. Ninguém está questionando o contrato. Estou questionando o ofício. Estou achando, no mínimo, que houve erro de digitação. Errou a digitação do quadro inteiro. Considerando o volume divulgado é como se cada domicílio utilizasse apenas uma caixa d’água de 500 litros/mês. Estão chamando a gente de sujismundo”, indignou-se.

O pedido de informações foi direcionado ao superintendente da Unidade de Negócios Leste da Sabesp, Maycon Rogério de Abreu.

A Sabesp encaminha a previsão de faturamento às prefeituras e informa os dados à Câmara para que os Municípios façam a previsão dos recursos em suas peças orçamentárias.

Soleira negativa

Gabriel também reclamou do fato de moradores do Jardim Nova Arujá, que possuem residências abaixo do nível da rua, terem de arcar, sem apoio da Sabesp, com os custos de instalação de rede de esgoto. “Temos vários casos de soleira negativa e, claro, o esgoto não sobe; em alguns locais há um córrego passando por detrás das residência. Aí a pessoa tem de dar solução. É brincadeira”, criticou o vereador.

Convocação

Em outro ofício (nº 1257/2019) o presidente da Casa, Reynaldo Gregório Junior (PTB), o Reynaldinho, solicitou ao superintendente Maycon Abreu que compareça à Casa para prestar esclarecimentos aos vereadores. O pedido de agenda foi feito em nome do vereador Gabriel.

Câmara Municipal de Arujá

Assessoria de Comunicação

www.camaraaruja.sp.gov.br

imprensa.camaraaruja@gmail.com

silmara@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7015

Publicado em 19/9/2019

Texto: Silmara Helena

Fotos: Imprensa/CMA