José Luiz e Abel Larini depõem à CEI do CMDCA (Oitivas: Parte 1)

20jan
image_pdfimage_print

O prefeito de Arujá, José Luiz Monteiro (MDB), e o ex-prefeito Abel José Larini (PL) compareceram às oitivas da Comissão Especial de Investigação (CEI) que apura supostas irregularidades no processo de eleição de 2019 dos conselheiros tutelares, realizada na sede do Legislativo em 17/01. Ambos foram interpelados pelo presidente da CEI Sebastião Vieira de Lira (DC), o Paraíba Car, e o relator Edimar do Rosário (Republicanos), o Edimar de Jesus.

Paraíba Car deu início aos questionamentos a Monteiro após exibir um vídeo no qual ele próprio, em diligência ao CMDCA no dia 7/1, deparou-se com a entidade fechada. No vídeo, o parlamentar aparece questionando a presidente Maria da Conceição Melo Veras Galbeti sobre o porquê de o prédio estar fechada em dia útil, ao que a presidente do CMDCA assegurou “estar fechada com a anuência do prefeito” e recomendou: “Não está satisfeito? Atravessa a rua e vai falar com ele”.

Com base nos fatos registrados, e após elucidação pelo vereador Paraíba Car das circunstâncias, Monteiro disse não ter qualquer ingerência sobre o CMDCA, que é um órgão autônomo. Questionado se havia algum documento autorizando o fechamento da entidade em função das férias de sua única servidora, o chefe do Executivo foi categórico: “não”. “A Prefeitura não tem interferência direta sobre o CMDCA, não podemos determinar seu fechamento. Em havendo a necessidade de cessão de funcionários, é preciso que isso se registre em ofício”, disse o prefeito, levando à conclusão de que não houve tal provocação pela entidade.

Caso de suposto estupro

Paraíba Car também interpelou o ex-prefeito Abel José Larini (PL) especificamente sobre o caso do suposto estupro que teria sido praticado em uma creche municipal, em 2014.  Antes de realizar os questionamentos, contudo, Paraíba reexibiu reportagem veiculada naquele ano no programa Cidade Alerta, da TV Record, na qual o apresentador – hoje falecido – Marcelo Rezende convidava o então prefeito, Abel Larini, a se explicar no programa sobre uma suposta tentativa de uma conselheira tutelar de “abafar o caso”.

Abel iniciou sua fala se dizendo surpreso pela veiculação do vídeo, uma vez que tinha sido convocado para falar sobre o processo eleitoral organizado pelo CMDCA, e ponderou que aquilo só poderia ter por objetivo prejudicar sua imagem perante a população arujaense. O ex-prefeito por quatro mandatos disse jamais ter sido procurado pela reportagem do programa televisivo. Aproveitou ainda para devolver questionamentos a seu interlocutor: “onde está o resto dos parlamentares que compõe a CEI?”. O ex-prefeito ainda questionou em que estágio está a investigação sobre o suposto estupro. “A providência que tomamos, à época, foi o afastamento funcionário enquanto duraram as investigações”.

Questionado se teve algum contato com a conselheira implicada no episódio, Abel disse não ter certeza, devido ao fato ter ocorrido há anos, mas que não se recordava de algum diálogo neste sentido.

Assessoria de Comunicação

imprensa@camaraaruja.sp.gov.br

renan@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7000 / 7067

Texto: Renan Xavier

Fotos: Imprensa/CMA