Lúcia Ribeiro pede adoção de linguagem de sinais na Câmara e na Prefeitura

02dez
image_pdfimage_print
Libras_Nucleo de Acessibilidade

Imagem: Universidade Federal de Alfenas (Unifal) – Núcleo de Acessibilidade

A vereadora Maria Lúcia de Souza Ribeiro (PTB), a Lúcia Ribeiro, sugeriu à Mesa Diretora da Câmara de Arujá a contratação de um profissional especializado na linguagem de sinais (Libras) para atuar durante as transmissões de sessões e audiências públicas. A indicação nº 4008/2015 foi aprovada na sessão ordinária de 30/11.

Segundo ela, a adoção da medida garantiria a deficientes auditivos o direito de acompanhar as atividades legislativas. “A Câmara é a Casa do Povo e deve oferecer meios para que todos (grifo dela) possam acompanhar as sessões e ter conhecimento sobre o trabalho dos vereadores e do Legislativo”, disse a parlamentar ao complementar que “a atuação de um tradutor de Libras visa ampliar a comunicação, o acesso às informações e a transparência”.

Lúcia Ribeiro também sugeriu, por meio da indicação nº 4009/2015, que o mesmo serviço fosse estendido aos eventos oficiais da Prefeitura. “A medida é de extrema importância para inclusão social”, finalizou. A propositura será encaminhada à análise do Executivo.

Libras
A Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) é utilizada por deficientes auditivos para a comunicação entre eles e entre surdos e ouvintes. Ela tem origem na Linguagem de Sinais Francesa e exige aprendizado específico. As linguagens de sinais não são universais, elas possuem sua própria estrutura de país pra país e diferem até mesmo de região pra região de um mesmo país, dependendo da cultura daquele determinado local para construir suas expressões ou regionalismos. (Fonte: Infoescola).

 

Câmara de Arujá
Assessoria de Comunicação
imprensa@camaraaruja.sp.gov.br
4652-7015
Publicado em 01/12/2015