Mais da metade dos alunos com necessidades especiais não tem laudo, diz Secretaria de Educação

17set
image_pdfimage_print

A Secretaria de Educação de Arujá informou que a rede municipal mantém 173 alunos com Necessidades Educacionais Especiais (NEE) sem laudo. Ou seja, crianças com suspeita de algum grau de comprometimento físico-motor, intelectual ou psicológico que ainda não dispõem de um diagnóstico médico. Este número representa 54% dos 318 estudantes presentes na planilha de acompanhamento do Núcleo Pedagógico de Atendimento Educacional Especializado (AEE) do município.

A informação consta de resposta ao requerimento nº 1497/2018, de autoria do vereador Sebastião Vieira de Lira (PSDC), o Paraíba Car. Indignado, o parlamentar usou a tribuna na Sessão Ordinária de 12/09 para contestar os dados fornecidos pela pasta e acusar a atual gestão de negligenciar, deliberadamente, a real demanda.

“A Secretaria de Educação ignora propositalmente o problema, pois se a intenção fosse laudar todas as crianças, seria obrigada a disponibilizar 318 estagiários (equivalente ao número de estudantes com necessidades especiais de aprendizado) para atender a demanda real”, disse o parlamentar. “Existe um ciclo de incompetência: as crianças não são diagnosticadas porque o município não tem especialistas na Saúde para dar esse diagnóstico”, acusou ainda o vereador, que citou ainda o caso de um aluno da Escola Municipal (EM) Padre Geraldo Montibeller para exemplificar o problema.

A direção da unidade, por sua vez, informou que atualmente atende 20 estudantes com necessidades especiais no período da manhã, sendo apenas seis com laudo médico; no período da tarde, são 11 estudantes atendidos, dos quais seis são laudados.

Tais números, segundo Paraíba Car, corroboram sua tese de subnotificação da demanda. Segundo ele, muitos familiares de crianças com necessidades especiais de aprendizado acabam não procurando diagnosticar a situação em vista da inércia dos gestores.

Outro lado

Por telefone, a Secretária de Educação Priscila da Silva Rosa Sidorco esclareceu à Assessoria de Imprensa e Comunicação da Câmara que os alunos de NEE não necessariamente demandam acompanhamento individual por estagiários, como afirmado pelo vereador do PSDC. Disse também que, apesar disso, todos os estudantes da Planilha de Acompanhamento AEE, anexada ao requerimento, recebem algum tipo de atendimento pelo Núcleo Pedagógico. Ainda de acordo com a titular da pasta, os estudantes com espectro autista integram o público prioritário de atendimento por estagiários da rede.

 

 

Assessoria de Comunicação

imprensa.camaraaruja@gmail.com

iprensa@camaraaruja.sp.gov.br

(11) 4652-7015

Texto: Renan Xavier

Fotos: Imprensa/CMA

17/09/2018