Manifestações de domingo repercutem na Câmara

18mar
image_pdfimage_print

As manifestações de rua do último domingo (15/3) repercutiram na sessão ordinária de segunda-feira da Câmara de Arujá.

Primeiro a subir na tribuna para abordar o assunto, o vereador Márcio José de Oliveira (PROS), Dr. Márcio, enfatizou o espírito democrático do movimento. Ele esteve na avenida Paulista, local que reuniu o maior número de pessoas – 1 milhão, segundo a Polícia Militar e 210 mil, de acordo com o Instituto Datafolha. “Fiquei muito feliz com o despertar de consciência do povo brasileiro que externou com veemência a insatisfação contra a corrupção e a incompetência na gestão econômica deste País. Temos que sair da passividade, da zona de conforto e garantir que nossos direitos sejam respeitados. Faço coro que isso se torne um movimento organizado, ordeiro, cívico e pacífico”.

O pessebista Wilson Ferreira da Silva foi ainda mais enfático e defendeu a renúncia da equipe de governo da presidenta Dilma Rousseff (PT). “As pessoas foram para a rua cobrar uma ação mais efetiva do governo federal no tratamento da corrupção como um verdadeiro câncer a ser extirpado. Esta semana, deverá ser anunciado um pacote anticorrupção no momento em que passamos por um dos maiores escândalos de corrupção do mundo. Acredito que esta equipe deveria renunciar”, afirmou.16.03.15_sessao_ordinaria_4

José Sidnei Schaide (PR), o Cocera Cabelo, disse que as denúncias de corrupção, afetam a credibilidade dos vereadores. “A população coloca todos na mesma condição. Acha que somos todos são corruptos por conta do que está ocorrendo no País hoje”, salientou.
O petebista Edvaldo de Oliveira Paula (PTB), o Castelo Alemão, afirmou que esta situação tem o obrigado a enfrentar fortes críticas contra a classe política. “Somos 67 mil políticos eleitos em todo o Brasil. Não posso concordar com a afirmação de que todos são corruptos. Temos que investigar, apurar e punir mas ter respeito com o próximo”.16.03.Sessao_ordinaria_4

Renato Bispo Caroba (PT), o Renato Caroba, também falou sobre as manifestações e disse que, além da corrupção, a hipocrisia também pode acabar com o País. “Sou a favor das manifestações, mas temos de combater a corrupção em todas as esferas – nos governos federal, estaduais, nas Prefeituras e nas Câmaras. Há muita hipocrisia nesta discussão, pois as pessoas fazem discursos moralistas e ignoram o jeitinho brasileiro como uma forma de corrupção. Não importa se a corrupção é pequena ou grande, mas ela precisa ser punida, de forma exemplar, pois não aguentamos mais tanta denúncia”, salientou ao também criticar aqueles que durante a passeata empunharam faixas pedindo a intervenção dos militares. “Essas pessoas não entendem que se houvesse intervenção militar, elas não estariam na rua”.

O presidente da Casa, Reynaldo Gregório Junior (PTB), Reynaldinho, reforçou a importância das instituições democráticas e parabenizou o povo brasileiro. “Quero parabenizar o Brasil, de ponta a ponta, por ter organizado um ato onde todos puderam expressar a sua vontade de maneira democrática. Tenho certeza que, dessa forma, as mudanças virão, assim como as vitórias”.

No dia 15 de março, o Brasil completou 30 de redemocratização com a posse do primeiro presidente civil, após 21 anos de ditadura. O presidente Tancredo Neves, eleito pelo Congresso de forma indireta, pois a emenda das Diretas Já havia sido rejeitada, morreu antes de assumir o cargo. Ele foi substituído pelo então vice-presidente, José Sarney. Veja o documento produzido pelo Senado sobre o assunto.

Câmara de Arujá
Assessoria de Comunicação
imprensa@camaraaruja.sp.gov.br
4652-7015
Publicada em 18/03/2015