Problemas do Jardim Emília dominam última audiência pública da LDO na Câmara

19jun
image_pdfimage_print

A última audiência pública realizada na Câmara Municipal, na última quarta-feira (17/6), para discutir o projeto de lei 155/15, que trata da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2016, foi pautada pelos problemas dos moradores que vivem na região do Jardim Emília. Os principais referem-se aos impactos negativos da construção do trecho Leste do Rodoanel Governador Mário Covas Junior e as constantes ocorrências de furtos e assaltos.

A reunião, aberta ao público e presidida pelo vereador Márcio José de Oliveira (PROS), o Dr. Márcio, contou com a presença da secretária Municipal de Finanças, Inês Rodrigues dos Santos.

Na tribuna, moradores e lideranças puderam apresentar suas demandas. “A obra do Rodoanel está provocando o isolamento do bairro. Somos onerados com a tarifa de ônibus mais alta por este motivo. O viaduto, construído pela SPMar, tem uma curva acentuada, perigosa,e não conta com iluminação”, disse a cabeleireira Eloísa Maria dos Santos.

Denise Jandelli Gimenes, também moradora do Emília, discorreu sobre a falta de planejamento e a sensação de esquecimento. “O bairro está prestes a receber as famílias da CDHU e de um condomínio e não há planejamento. Serão quase 3 mil pessoas a mais”, apontou. Segundo ela, é preciso tomar providências. “Agora querem tirar inclusive a passarela que demoramos 15 anos para conquistar”, reclamou.

Denise aponta falta de planejamento

Dr. Márcio fez uma intervenção e disse que é preciso aproveitar o andamento das obras para reivindicar medidas compensatórias. “Se não fizermos este pedido agora, dificilmente, seremos contemplados depois”, reconheceu.

O petista Renato Bispo Caroba, mais uma vez, ressaltou a falta de “vontade política” da administração municipal que, segundo ele, “assiste passivamente”  à deterioração do bairro.

Edvaldo de Oliveira Paula (PTB), o Castelo Alemão, garantiu estar na luta para evitar que a qualidade de vida fique ainda pior. Ele participou da mobilização realizada em Guarulhos para evitar o fechamento do acesso de veículos à Presidente Dutra (BR 116), que deverá prejudicar o tráfego de cerca de 20 mil carros vindos de Arujá. “Vamos continuar pressionando para que tanto a SP Mar quanto a CCR Nova Dutra revejam estas medidas.”

A falta de segurança, assunto abordado em outras regiões da cidade, também tornou-se preocupação de quem mora na região do Emília, além da deficiência de vagas na creche em período integral e as dificuldades de atendimento na área da saúde.

Após ouvir o grupo, o  vereador Wilson Ferreira da Silva (PSB), o Dr. Wilson, rebateu as críticas de abandono e elencou as conquistas. “Temos também de reconhecer que o bairro melhorou. Conseguimos o Complexo do Calango, o recapeamento das ruas, a manutenção da limpeza ainda que, neste momento, de fato, o bairro enfrente uma situação difícil, pois onde o Rodoanel passou causou problemas”, ponderou ao ouvir protestos de parte da galeria. Ele também anunciou a decisão judicial que garantiu a reintegração de posse de área ocupada na divisa de Arujá com Itaquá, também nas proximidades do Emília.

Deusdete pediu mais recursos para habitação

Habitação

O presidente do Movimento de Moradia e de Cidadania de Arujá, Deusdete José da Silva, também compareceu à audiência e pediu mais verbas para a construção de moradias. Segundo ele, o empreendimento da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), em fase de construção na Fazenda Albor, não será suficiente para suprir o déficit. “Precisamos que a administração viabilize terreno e permita a construção de moradias por meio do Minha Casa, Minha Vida”, reivindicou.

Na área de Cultura, o interlocutor foi Elias Martins, o DJ Dog, morador do Parque Rodrigo Barreto. Ele pediu mais investimentos no setor. “Temos de melhorar a legislação na área cultural de forma a valorizar os artistas locais. A cultura começa antes da educação”, defendeu ao apontar também a necessidade de instalar iluminação em áreas próximas às redes de energia elétrica.

Vereadores e a sociedade civil têm prazo até 25/6 para apresentar emendas à LDO.

 

 

Câmara de Arujá

Assessoria de Comunicação

4652-7015

imprensa@camaraaruja.sp.gov.br

Publicada em 19/06/2015