Sem condições de pagar pelo transporte, alunos desistem de cursos na ETEC de Arujá

12jun

Sem direito ao Passe Livre e tendo, em alguns casos, de utilizar quatro conduções para chegar à escola, alunos da ETEC Professora Luzia Maria Machado de Arujá estão desistindo dos cursos. A falta de recursos para pagar o transporte público tem aumentado os índices de evasão, segundo informou a diretora Marilda Aparecida Simoni Britto durante reunião realizada na unidade com o vereador Renato Bispo Caroba (PT) e o deputado estadual Alencar Santana (PT).

O deputado estadual Alencar Santana e o vereador Renato Caroba ouvem diretora sobre a evasão causada pelos problemas com transporte

O objetivo de acionar representantes da Câmara Municipal e da Assembleia Legislativa foi de buscar uma solução conjunta para o problema evitando que a ETEC  – diante do alto índice de abandono – acabe por fechar definitivamente as vagas. No período de julho de 2015 a dezembro de 2016, 68 estudantes desistiram de estudar. Este ano, o número já é de 42. O índice varia de 20% a 30% dos matriculados, dependendo do curso. “O maior motivo da desistência é a falta de condição de custear o transporte”, garante a diretora com base em pesquisa.

Diferente dos alunos matriculados no ensino médio, que usufruem do Passe Livre, os alunos do ensino técnico não têm esse direito. “Como estamos subordinados à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, nossos estudantes não podem pleitear o benefício”, explicou Marilda.

A informação foi confirmada pelos estudantes arujaenses Talita Carvalho e Felipe Moraes, estudantes do curso de Recursos Humanos, que ainda explicitaram uma outra dificuldade: eles precisam pegar quatro conduções para chegar à escola, mas o desconto de 50% na tarifa só é válido para uma das linhas. “Até agora, também não conseguimos usufruir da tarifa integrada em Arujá – que permitiria o pagamento de uma única passagem”, salientaram.

Alunos apresentaram problemas a legisladores e pediram solução

Desde 2012, a tarifa é integrada na cidade de Arujá. Todo usuário tem direito a utilizar o transporte coletivo pagando apenas uma tarifa, desde que seja no intervalo máximo de 1 hora. A tarifa custa R$ 4,05. Além disso, para a integração realmente valer, a viagem precisa ser no mesmo sentido e o passageiro deve pagar a passagem com cartão – no caso, o BOM Municipal.

Renato Caroba avaliou a situação como “grave” e pretende acionar tanto a Prefeitura quanto a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), por meio do deputado, para discutir alternativas. “Entendemos que precisamos também acionar o governo do Estado, pois vivemos problema semelhante no Jardim Emília, onde estudantes de Arujá são obrigados a utilizar o intermunicipal, mas também não têm direito ao passe livre. Por outro lado, há necessidade de acionarmos o município na tentativa de estudar a possibilidade de melhorar as condições de transporte aqui na região da Etec”, pontuou. Somente uma linha municipal atende a região da Etec.

O deputado Alencar Santana se comprometeu a agendar reunião na EMTU e incentivou os estudantes a se mobilizarem pela instituição do Passe Livre em Arujá. Ele também criticou a situação do transporte público. “Infelizmente o transporte não é organizado para beneficiar o usuário e sim para proteger os interesses das empresas. Levaremos este pleito à EMTU, mas creio que vocês poderiam se mobilizar para buscar o Passe Livre”, afirmou.

A reunião, realizada no último dia 26/5, ainda contou com a presença da coordenadora pedagógica da ETEC, Rosemary Mendonça e da diretora administrativa Benedita Ávila.

 

 

 

Câmara de Arujá

(11) 4652-7015

Publicado em 07/06/2017

Fotos: Imprensa/CMA

 

image_pdfimage_print