Vereadores participam de Conferência Municipal de Crianças e Adolescentes

07maio
image_pdfimage_print

A Câmara de Arujá sediou a IV Conferência Lúdica Municipal da Criança e do Adolescente com o tema “Vamos promover o respeito aos direitos das crianças e adolescentes”. A atividade, realizada na quarta-feira (6/5), reuniu representantes de diversos segmentos para discutir, entre outras prioridades, a ampliação das políticas públicas destinadas ao atendimento de crianças e adolescentes, principalmente, os que se encontram em situação de vulnerabilidade.

Reynaldinho discutindo política nacional de Direitos Humanos

O presidente do Legislativo, Reynaldo Gregório Junior (PTB), o Reynaldinho, e o vereador Renato Bispo Caroba participaram dos debates, no período da manhã. A vereadora Maria Lúcia de Souza Ribeiro (PTB), a Lúcia Ribeiro, acompanhou os debates no período da tarde.
Cinco eixos pautaram a definição das prioridades: promoção dos direitos das crianças e adolescentes; proteção e defesa dos direitos; protagonismo e participação das crianças e adolescentes; controle social da efetivação dos direitos da criança e do adolescente e gestão da política nacional dos Direitos Humanos das crianças e adolescentes.

Renato Caroba em debate sobre protagonismo dos jovens

“A conferência é uma oportunidade de diálogo entre governo e sociedade civil e ocasião especialmente oportuna para os conselhos de direito visualizarem os indicadores de mudanças propostos pela sociedade e cumprirem, com responsabilidade, o seu papel deliberativo e avaliador das políticas públicas”, afirmou a presidente do CMDCA de Arujá, Isabel Campos Moreno durante abertura do evento.

Segundo ela, é necessária a ampliação das políticas públicas voltadas a adolescentes e crianças em situação de vulnerabilidade. “É fundamental a garantia dos direitos, de forma igualitária, para todos”, ressaltou.

Lúcia Ribeiro e a presidente do CMDCA, Isabel Moreno

Conselheira tutelar do município, Andrea Barros afirmou que 70% dos atendimentos feitos pelo Conselho são de jovens envolvidos com tráfico ou consumo de entorpecente. “A maioria tem problemas com drogadição e nesta área as políticas existentes são insuficientes”, ressaltou. O município, conforme explicou, necessita de um Centro de Apoio Psicossocial Infantil – o CapsI a fim de garantir o apoio necessário a este grupo. Somente no segundo semestre de 2014, o Conselho Tutelar atendeu 2.900 crianças e adolescentes.

A secretária-adjunta da Secretaria Municipal de Assistência Social, Marina Bernardo da Costa Antônio defendeu o fortalecimento da rede de atendimento e a execução de uma política integrada voltada a crianças e adolescentes. Ela também aponta a drogadição como principal desafio. “É preciso aprimorar esta rede e envolver outras áreas como saúde e educação. Até porque a assistência social acompanha mas não faz o tratamento”, ponderou.

Atualmente, Arujá atende 700 jovens entre seis e 17 anos nos Centros de Convivência instalados nos bairros Parque Rodrigo Barreto, Mirante e Centro. As atividades são realizadas no contraturno escolar.

 

 

 

 

 

Câmara de Arujá

Assessoria de Comunicação

imprensa@camaraaruja.sp.gov.br

4652-7015

Publicada em 07/05/2015